Make your own free website on Tripod.com
ReVendo

...não que já seja perfeito, mas prossigo para o alvo.

 

Produzido por Lúcio Cesar Menezes

Índice

Receba via e-mail

Links úteis

Terceira Igreja

Página da Família

Brasília,

Família

                      Emagrecimento gostoso! 

                                 Lúcio César Menezes

       

 

 

Muitos casamentos começam a perder em qualidade quando os cônjuges começam a se  afastar e a diminuir o contato físico.

O que era comum e freqüente no namoro se torna uma exceção e uma raridade no casamento. Os beijos, os abraços, o carinho e o afeto ficam restritos ao momento do ato sexual.

Para estimular alguns que já "esqueceram como se beija", segue um texto interessante colhido da internet.

"Olha como evitar as gordurinhas ...

Eta trabalheira boa!
Se você pensa que, quando beija, só sua boca trabalha, está
completamente por fora.

Fique sabendo que todo o seu organismo entra em ação. Além dos seus cinco
sentidos paladar, olfato, audição, visão e tato entrarem na jogada, seu coração dispara.      Se normalmente ele dá de 60 a 80 batidas por
minuto, na hora do beijo,
acelera em ritmo alucinante: 150 batidas por minuto.
Nada menos do que 29 músculos faciais fazem hora extra por causa de
um simples beijinho.
Um beijo daqueles dignos de um telão de cinema e que deixe a galera
da platéia morrendo de
inveja da mocinha exerce uma pressão de 12 quilos sobre os lábios. Já um
beijinho que se dá num
bebê pode ser pesado em gramas.
Segundo os estudiosos, um beijo caliente , que dure 10 segundos, é
capaz de queimar 12
calorias. Se essas contas são verdadeiras mesmo, está aí um exercício e tanto para 
 quem quer manter a linha.

Então, veja quantos beijos você tem de dar para dizer adeus às
calorias de:
1 latinha de Coca-Cola = 11,5 beijos
1 barra de chocolate (100 g) = 45 beijos
1 bola de sorvete de morango = 6 beijos
1 bala de goma = 2,5 beijos
1 taça de pudim de baunilha = 10 beijos
1 dropes = 1,5 beijo
1 fatia de bolo sem recheio = 16 beijos
Por isso, pelo sim, pelo não, faça já sua adesão à campanha: 

"Emagreça  beijando!"

Valendo ou não para emagrecer, a verdade é que o beijo é um excelente meio para  fortalecer e estimular o relacionamento sexual do casal. Mais ainda,  pode ser visto como um termômetro da proximidade que está havendo no relacionamento conjugal.

 


Ambiente cheio de negativismo.

O que fazer?

Lúcio César Menezes

 

As coisas não estão indo bem? Há muita reclamação e você percebe que o clima está sempre pesado, negativo e para baixo?

É preciso agir logo, antes que a situação saia de controle. Dê uma olhada para os lados e fique atento, pois há vários sinais que podem lhe ajudar a perceber quando o ambiente está começando a ficar difícil.

1.           As pessoas estão tratando de se defender: querem sempre deixar uma porta de saída para quando forem cobradas de alguma atitude. Em vez de buscarem as melhores soluções, escolhem as que sejam mais fáceis e que não sejam muito arriscadas. Fazem o mínimo necessário.

2.           As conversas giram em torno de críticas ou julgamentos sobre o trabalho dos outros, sobre a organização, sobre os líderes: boa parte do tempo é desperdiçada em conversas sem proveito. Há uma forte sensação de injustiça,  de inveja e de insatisfação com tudo e com todos. Nada parece estar certo ou funcionando bem. A visão negativa prevalece.

3.           Surge o "vício" de falar NÃO POSSO: para tudo que for pedido a resposta é "não posso", "não vai dar", "está difícil". Mudar algo? Nem pensar!!

A liderança deve estar sempre atenta a esses sinais. Eles ajudarão o líder a agir mais cedo, evitando que a situação chegue a um ponto insustentável.

Analise o seu ambiente de trabalho (secular ou eclesiástico) e tente identificar algum ou alguns dos sinais mencionados.

Se estiverem presentes, não deixe que o tempo cuide deles. O tempo só tornará esses sinais mais perigosos. É preciso que o líder intervenha e desarme as situações que geram o clima negativo.

Já que você está prestando mais atenção às pessoas com quem lida, aproveite para observar como as pessoas costumam externalizar sua insatisfação.

1.               Há os que falam pelas costas - é a turma que não gosta de confrontos. Na sua frente está tudo bem, mas assim que você sai...

2.              Há os agitadores (ou demagogos) - é a turma que gosta de  envolver outros no clima de insatisfação. Faz discursos, mostra que seria um líder melhor, atiça o descontentamento e fica feliz quando a situação chega a um ponto insuportável.

3.              Há o mártir - coitado, é um injustiçado. Não tem oportunidade para mostrar o quanto é bom, acha que é perseguido e se apresenta como um sofredor, um excluído.

 Saber que o clima está negativo e como agem os descontentes é um passo. Mas não é suficiente.

Será preciso agir para romper o ciclo vicioso.  O clima não ficará melhor por acaso, mas somente se houver um trabalho apropriado e eficiente.

      No próximo número veremos algumas idéias.

Índice

Receba via e-mail

Links úteis

Terceira Igreja

Página da Família

Textos e artigos podem ser usados e reproduzidos livremente para estudos, reuniões ou palestras sem fins lucrativos. Pede-se a gentileza de citar a fonte. LM

Direitos reservados Copyright @  2001   Lúcio César Menezes

Esta página foi visitada vezes.